CAPELA SANTO ANTÔNIO FESTEJA O PADROEIRO

Em celebração especial, a Capela de Santo Antônio de Rio dos Índios realizou neste domingo (09/06), mais uma edição da tradicional festa do padroeiro.

A celebração também pontuou o Dia de Pentecostes, muito importante no calendário cristão, e que marca a descida do Espírito Santo sobre os apóstolos e Maria Santíssima no Cenáculo, em seguida repletos do Espírito Santo saíram para pregar a boa nova.

O Pentecostes é celebrado 50 dias depois do domingo de Páscoa, e no décimo dia depois do dia da Ascensão de Jesus Cristo. Juntamente com Natal e a Páscoa, esta é a terceira data mais importante do Ano Litúrgico.

Durante a homilia padre Adilson Magri, trouxe a reflexão momentos da vida de Santo Antônio e o Pentecostes, a ação do Espírito Santo na vida na vida da Igreja.

Santo Antônio é reconhecido como o protetor das coisas perdidas, dos casamentos e dos pobres é o Santo dos milagres. Fez muitos ainda em vida. Durante suas pregações nas praças e igrejas, muitos cegos, surdos, coxos e muitos doentes ficavam curados. Redigiu sermões muitos importantes para a Igreja, sobre a quaresma e os evangelhos, que estão impressos em dois grandes volumes de sua obra.

Santo Antônio morreu em Pádua, na Itália, em 13 de junho de 1231, com 36 anos. Por isso ele é conhecido também como Santo Antônio de Pádua. Antes de falecer nas portas de Pádua, Santo Antônio diz: “Ó Virgem gloriosa que estais acima das estrelas.” E completou, “estou vendo o meu Senhor.” Em seguida, faleceu.

Ao encerrar a celebração foram abençoados e distribuídos os pãezinhos e os lírios de Santo Antônio.

Durante a tarde os festeiros de uma maneira divertida e folclórica venderam as fatias do bolo de Santo Antônio que continha uma pequena imagem do Santo, quem a encontrasse seria contemplada com o casamento, em seguida foi jogado o buque para as mulheres interessadas em casar.

Oração de Santo Antônio

Lembrai-vos, glorioso Santo Antônio, amigo do Menino Jesus, filho querido de Maria Imaculada, de que, nunca se ouviu dizer que alguém daqueles que tem recorrido a vós e implorando a vossa proteção, tenha sido por vós abandonado. Animado de igual confiança, venho a vós fiel consolador e amparador dos aflitos. Gemendo sob o peso dos meus pecados, me prostro a vossos pés, e pecador como sou, ouso me apresentar diante de vós. Não me rejeiteis, pois, a minha súplica (fazer o pedido), vós que sois tão poderoso junto ao Coração de Jesus, mas escutai-a favoravelmente e dignai-vos a atendê-la. Amém.

 

 

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *